LEO CHIODA




Dizem que comecei cedo. O Tarot já era uma realidade quando criei este blog na primavera de 2006, unindo duas paixões — o café e o Tarô, naturalmente. Como estudante das cartas desde 2002, em meio a outros oráculos e ferramentas de autoconhecimento, o primeiro contato com elas foi ainda na infância. Minha avó materna consultava as cartas. Não era ela quem as lia, mas uma amiga cartomante que vinha em casa. Eu tinha apenas quatro anos e era proibido de ouvir os presságios. 

A curiosidade pelas imagens que eu via rapidamente sobre a mesa foi reavivada em 2003 quando encontrei [ou fui encontrado por] uma revista trazendo o Tarô de Marselha. Depois de me impor o desafio de decodificar aquelas imagens, os anos seguintes foram dedicados ao estudo dos livros garimpados sobre o oráculo. Este blog nasceu na primavera de 2006 e ganhou projeção na mídia depois que me inscrevi no 1º Simpósio Nacional de Tarô de São Paulo, organizado por Nei Naiff em 2007. A partir daí, enquanto ingressava no curso de Letras, passei a publicar com mais frequência as analogias entre os arcanos, a arte e a cultura popular, consolidando o blog como 'um dos melhores sobre Tarô e simbologia no Brasil'. 

Em julho do mesmo ano, com Zoe de Camaris e Alexey Dodsworth, ministrei a palestra TARÔ: DIÁLOGOS COM A MODERNIDADE, realizada na GAIA Escola de Astrologia, em São Paulo. Foi a oportunidade de mostrar o Tarô como linguagem visual interdisciplinar ao estabelecer associações com o cotidiano, a literatura, o cinema e os quadrinhos.

Em 2008 começo a faculdade de Letras (UNESP Assis) e conheço mais a fundo a obra de Italo Calvino. Abro então alguns estudos sobre O Castelo dos Destinos Cruzados, cujas narrativas foram criadas a partir da disposição aleatória das cartas. A influência literária passa a ser inegável. Na Itália, continuo as pesquisas sobre os Trionfi. E alguns de meus trabalhos e traduções passam a ser publicados no CLUBE DO TARÔ

Já em 2009, o meu ensaio ''O fabuloso tarô de Amélie Poulain'' ganha uma palestra na Livraria Cultura ao lado de Alexey Dodsworth e Constantino Riemma [responsável pelo Clube do Tarô], celebrando o ano da França no Brasil e as influências tarólogicas na cultura dos dois países. Fui convidado a participar do 1º Fórum Nacional de Tarô e Simbologia, também realizado por Nei Naiff, sobre as ferramentas virtuais de ensino e aprendizagem do Tarô.

Em 2010, passei a viver na Itália devido a um intercâmbio. No ano seguinte, participei do 3º Encontro Nacional de Tarólogos, realizado durante o 20º Encontro da Nova Consciência, em Campina Grande. Apresentei as aproximações simbólicas entre o Tarô e a literatura de Cordel, o Auto da Compadecida e outras manifestações culturais do Nordeste. Fui o tradutor de Giordano Berti, escritor e historiador italiano, durante o curso De Etteilla a Jodorowsky, sobre métodos práticos e teóricos para a leitura do Tarô, ministrado em São Paulo em novembro de 2014. 

Além da página do Café Tarot no Facebook, administro o Instagram (que já ultrapassa os 24 mil seguidores) com postagens semanais sobre oráculos. Atuo como principal especialista em Tarô do Personare e tenho artigos e matérias em sites e revistas como Horóscopo EGO, MSN, Metro, Jornal Agora e Bons FluidosTambém me dedico a um Doutorado Direto, sobre poesia e alquimia, na Universidade de São Paulo. 

E assim, passados 15 anos de blog, 
que qualquer parte vivida dessa página, a  minha própria trajetória, inspire a sua jornada pelo Tarô.

Aqui estamos. E vamos juntos!




ENTRE EM CONTATO  
CLIQUE AQUI