7 de maio de 2010

MATERNIDADE


Fernand Khnopff & Joséphin Péladan - Istar, 1888.

Uma mãe de ponta cabeça é espelho de infinitas injustiças.

Ainda mais pra quem nunca foi uma.

Inútero. Treva.



Charles Maurin - Maternity, 1893.

Privada das dores do parto. Mas apenas dessas.


Que loucura, meus deuses.


L.

7 comentários:

Anônimo disse...

uau. saquei. demais. que haja justiça. beijos mil.

André Peres disse...

Li, reli e talvez precise ler de novo...não digo que compreendi...mas de alguma forma me sensibilizou...devo voltar a ele mais vezes...abraços

Alexsander disse...

Loucura mesmo.Penduratriz, o mais novo arcano no Tarô.

Rafael Poeta disse...

Cara, suas palavras possuem magia! Seu modo de escrever é simplesmente objetivo e subjetivo simultaneamente. Como o Andre Peres ai em cima disse, não digo que entendi, mas posso afirmar que essas palavras escritas por vc possuem mágica...

Juliana Vermelho Martins disse...

"Inútero"
Adorei!

Serginho Tavares disse...

lindíssimo post
adorei

Mariana disse...

seu blog ta mto bonito Léo!! parabens!!!