4 de fevereiro de 2011

TRABALHANDO COM O JULGAMENTO




Há alguns dias recebi um e-mail bastante verdadeiro de uma leitora.
Clara* é mãe de dois filhos, trabalha e não tem marido. Comentou do contato com o Tarot e com a Astrologia que mantém há 20 anos, do jogo de cintura para dar conta do trabalho e da doença do filho e ainda da dificuldade em se abrir para um novo romance, uma nova empreitada pessoal. Para entender melhor o momento, Clara escolheu um arcano. Veio O JULGAMENTO. Alegou que não tinha encontrado muita coisa aqui no Café e me pediu algumas palavras para meditar um pouco.

Pois bem. O Julgamento. Desde 2005 tenho desenvolvido uma prática bastante eficaz para o treinamento da intuição: O TRABALHO COM O ARCANO, ou DIÁLOGO COM O ARCANO. Nesses seis anos pude vislumbrar a pluridimensionalidade de cada um por meio da conversação e da meditação, ouvindo as vozes e as mensagens tão certeiras e precisas. Mas sempre, claro, com os pés no chão. Sem nenhum tipo de devaneio esquisotérico que me jogue longe da coerência simbólica e pessoal. Aliás, incoerência é o que tenho visto por aí com a maioria dos interessados no assunto se mostrando verdadeiros consumistas de baralhos bonitinhos e diferentes, abarrotando as redes sociais com informações vazias e achismos sobre o que um arcano faz ou deixa de fazer. Mas isso é outro assunto.

Surgite ad judicium. É prudente trazer o arcano pra você, Clara. Mesmo já respondido o seu e-mail, fiquei pensando que a sua experiência com o Tarot poderia lhe ajudar a entender melhor o que este arcano escolhido exige de você e também o que ele lhe oferece. Primeiro, analise a imagem. Para "abri-la", é preciso familiarizar-se com ela. O trabalho começa quando você se dispõe a lê-la, a ouvi-la. Como um livro repleto de figuras, em que a narrativa está plasmada nas cores e formas. Pense num arcano isolado como uma página crucial para o entendimento do livro.

O que vem primeiro à mente? A imagem fala, o que você ouve?

Intuitive Tarot, Cilla Conway.

O Renovador, o Renascimento, o Juízo... Anote tudo o que a figura está mostrando e parta depois para o que você sente, que é um passo da interpretação. Ela exige, num primeiro momento, uma postura emocional ainda mais forte e confiante de que tudo pode ser extremamente positivo e diferente daqui pra frente. Você acredita em você? Então está na hora de reconhecer e respeitar a sua intuição. Respire fundo sempre que tiver alguma folga. Sinta o seu corpo. Sinta o seu coração batendo. Atitudes simples como essas lhe ajudam a redefinir contato com você mesma. Sem esse contato, sem aceitar a si mesma, incondicionalmente, nada funciona bem. Reconheça o seu corpo, aceite o amor e abrace as novidades. Unir o Céu e a Terra: um equilíbrio possível entre adversidade e descanso, prazer e esforço. É o que O Julgamento lhe traz de início.

O TRABALHO COM UM ARCANO é uma técnica poderosíssima de diálogo, de interação e sobretudo de humildade diante dos arcanos como mestres. Lá na
Revista tenho mostrado a intrínseca relação entre a imagem e o leitor, que somos nós - tarólogos ou consulentes. É importante também, durante uma consulta, deixar que a pessoa veja e/ou toque as cartas escolhidas, mesmo se não tiver nenhum conhecimento do assunto e estiver interessada apenas nos resultados. É difícil tentar definir a variedade de efeitos que uma imagem pode surtir no inconsciente humano, mas o contato é sempre necessário. É assim que podemos perceber nossas próprias fábulas e nossas alegorias mais secretas sobre nós mesmos. A sabedoria e a bem-aventurança vêm daí.



Sei que a mensagem foi positiva para você, Clara. Continue com ela. Um arcano é inesgotável, como a vida em todas as suas páginas. Com o maior respeito e gratidão, desejo que o seu caminho seja repleto de significado e verdade.

Leo



__________________________
* Nome fictício.

7 comentários:

gianeportal disse...

Oi Leo! Adorei o post e achei bem interessante essa sua colocação sobre a interação entre consulente e as cartas. Muitos clientes hoje em dia me pedem para fotografar os jogos com o celular! Acredito vir da necessidade de refletir sobre as cartas.

Gostaria de fazer uma observação a respeito da método em si. Durante muito tempo utilizei o método americano de jogo, mas desde o ano passado, depois de reler as obras de Nei Naiff, só utilizo o Europeu. Ou seja: sempre tiro um Arcano maior e um menor para mesma questão. Isso por entender e concordar com o pressuposto de que os Arcanos Maiores falam da essência da Vida, e os menores sua manifestação. Assim, o Arcano Menor tem poder de "especificar" ou clarear o sentido do maior.

Vamos supor, nesse caso, o Julgamento: Arcano que por si só está ligado aos significados de Transcendência, Necessidade de cura, Descoberta de uma nova vida, é também um Arcano que anuncia coisas novas na vida a despeito da pessoa ansiar por isso ou não.

Com um arcano menor, a analise poderia ser complementada explicando como esse processo de dará, ou o que ela precisa curar, transcender etc.

Por exemplo: o Julgamento + 7 de paus > indicaria que a pessoa precisa se erguer contra os obstáculos impostos pelos outros, agir com honestidade e convicção; Julgamento + 7 de copas que ela deve deixar as ilusões de lado, parar de buscar um príncipe encantado e lidar com a realidade... Julgamento + 6 de copas que ela tem de aprender a se desconectar do passado e viver o presente para que as coisas possam fluir, etc.

Anônimo disse...

Adorei o que você falou sobre esquisoterismo.
Você tem toda razão. Estudo tarô já tem uns anos, mas não me acho entendida no assunto. Gosto das cartas, das simbologias. Mas as pessoas surtam e piram neste assunto. Você vai no facebook, um monte de aplicativos de tarô e oráculos e eu nunca vi tantas besteiras.
Acho que menos é mais. Conhecer o tarô é antes conhecer a si mesmo.

Seu blog é ótimo. Parabéns! beijos,
Renata

Leonardo Chioda disse...

É, Gi, concordo. Neste tipo de trabalho, especificamente, acho super válido conversar com um arcano por vez. Claro que o Arcano Menor complementando é extremamente eficaz, mas pra esses efeitos pessoais, 'viscerais', a mensagem do Maior pode ser muito clara. E também que vai muito da maneira como abordamos o Tarot, né? O diálogo deve ser travado com toda a humildade possível, como comentei, mas trazendo também todo o seu intelecto, a experiência cultural para fazer os devidos links com a vida. É como acionar o nosso dicionário pessoal de analogias e figuras: a 'cura' pode vir daí. Logo trago as sincronicidades que um grande amigo me contou que teve ao ler essa postagem, daí comentamos mais. Beijo!

Leonardo Chioda disse...

É, Renata, a coisa anda feia. Acho muito válida a movimentação que andam fazendo pelo Tarot com a facilidade das ferramentas virtuais. Eu sou suspeitíssimo pra falar porque sou filho da tecnologia, mas tenho certeza de que é indispensável a coerência e o compromisso com o Tarot, tanto a nível simbólico quanto social mesmo. Espalhar brincadeiras do tipo "o que é o que é", "que carta é essa" e outras brincadeiras fomentam uma superficialidade do Tarot, como um mundo de bichinhos bonitinhos e palavras-chave que se tornam clichês. Às vezes me cobram textos aqui, mas é como você disse: menos é mais. Vale o ensinamento de Delfos: Μηδεν Αγαν - Nada em Excesso. Beijo!

gianeportal disse...

Leo, fiquei mega curiosa! Claro que não quis desmerecer o poder do Arcano Maior - longe disso - justamente por ser tão poderoso em alguma situações ele fica com um sentido amplo demais...

Quanto a questão da superficialidade nos meios digitais, acredito que o lado positivo de tudo isso seja a divulgação, o despertar de um desejo de conhecer mais profundamente o oráculo. A distorção do Tarot acontece há séculos em sua simbologia - muitas vezes na tentativa de analogias que misturam estudos e doutrinas com o significado oracular, corrompendo-o. Sem falar nos inúmeros baralhos totalmente desvinculados a simbologia original... mas isso já foi tema de uma longa conversa heheeh

THIAGO disse...

Muito bom. Gosto mto do seu jeito de abordar o tarot, é bem dinãmico e sempre positivo. Falta um livro né??? Que tal lançar? Vai ser sucesso. Esse blog desbanca muitasgente q acha q escreve.. vá em frente!

abraços!

Thiago

Yub disse...

Fala aí, Leo!! É sempre gostoso tomar um cafezinho tarológico por aqui. E ver essa sincronicidade entre nossos blogs, a partir do Arcano O Julgamento... ;-)

obs.: continua nos brindando mais regularmente com seus textos aqui. SOU FÃ!

Beijãozão nocê...
Yub