21 de outubro de 2010

TARÔ & POESIA



IX

Uma mulher suspensa entre as linhas e os dentes.
Antiqüíssima ave, marionete de penas
As asas que pensou lhe foram arrancadas.
Lavado de luzes, um deus me movimenta.
Indiferente. Bufo.



Hilda Hilst, VIA VAZIA

3 comentários:

Pietra disse...

hahaha perfeito.
Fechou o meu mês, com O Mundo me acompanhando. Hj alguém novo vem me dar um alô.
Valeu a sintonia.
Bjokas da irmã (no Deus hahahah)
Pi

Samhain Moon disse...

Your blog looks pretty, I wish I could understand it!

Saludos desde Puerto Rico!

Anônimo disse...

Eleva-te espírito na suave brisa para outra dimensão, abandonas a matéria e bens terrenos conquistados pelo egocêntrismo, hipocrisia, ganância e falsos valores; causando na incessante busca destes; inúmeros malefícios a seus inocentes semelhantes, a forma redonda que embutia sua consciência sera sorvida pelo bico da águia atenta e vigilante e te tornarás nesse fulminante instante penas espalhadas pela terra via ciclone majestoso e bufante...