8 de dezembro de 2012

O MÉTODO SERPENTE


SÃO PAULO |  DEZEMBRO 2012


E se criássemos um método de estratégia que servisse tanto para Tarot quanto para outros oráculos em cartas? Um método que ajudasse a pessoa a definir objetivos, a mapear o ambiente de ação e a melhor forma e momento de agir? Um método redesenhado em que se deita as lâminas na vertical, de forma que as curvas intuitivamente tomadas se pareçam com uma cobra? E se estudássemos rapidamente a natureza de um dos seres mais fantásticos e temidos da humanidade? E se fizéssemos desta casa em São Paulo um laboratório de técnicas? E se escolhêssemos um filme ou um livro para ilustrar seu desempenho? E se fôssemos aliados na arte da combinatória e levássemos a público uma oportunidade de explorar o oráculo com profundidade e absoluto respeito à nossa profissão? 

E se? 

Foi assim que Giane Portal e eu nos reunimos e começamos a elaborar o método SERPENTE: questionando. E fazendo, pois só falar não adianta muita coisa. À base de iogurte grego, chá gelado e tragos de Café Creme, o que começou com um teste repentino acabou se estruturando. Aqui revelamos as primeiras impressões.


COMO FUNCIONA 

O Serpente foi arquitetado como um método de estratégia. Três cartas. Direto e reto. Ou seis, se você trabalha com um arcano Maior e um Menor. Como age uma cobra quando decide ou precisa atacar? Pensemos rapidamente:

1. Ela espreita a presa.
2. Ela se arma.
3. Ela dá o bote.

Foi assim que pensamos nas posições: 

1. Analisar o ambiente e os perigos possíveis.
2. Definir o alvo e colocar-se em posição.
3. Atacar.

A arte do Tarot é, sim, ritualística. E sim, somos intérpretes. Chamar a Serpente faz parte do método: deslizar as cartas verticalmente, mimetizando o rastro do réptil. A eficácia da estratégia é testada no final, quando um último recurso torna-se disponível. Até lá, deve-se analisar as três posições com todo o cuidado. Elas se relacionam, assim como acontece com vários outros métodos. Intuitivamente tomamos como exemplo um ícone do cinema para testar a eficácia da disposição e da leitura: KILL BILL, de Quentin Tarantino. Tamanha foi nossa surpresa quando desvelávamos o Barbara Walker Tarot e víamos a narrativa de Beatrix Kiddo [Uma Thurman] se formando frente aos nossos olhos. 

Que tal ser testemunha da nossa tática? 
O pré-requisito é único: ter assistido aos filmes.


Como Beatrix  Kiddo pode matar Bill?

A ESPREITA | Mapeamento da situação. A cobra analisa a presa, aquilo que deseja dominar, destruir, tomar ou tornar-se.  Conhecer o ambiente é essencial para obter êxito, seja qual for a intenção.

 


DIABO + PRINCESA DE PAUS | Beatrix deve se libertar física e afetivamente. Fisicamente do hospital, afetivamente do próprio Bill, seu amor do passado e seu pior inimigo. Seu codinome é Encantador de Cobras, aquele que recruta as víboras assassinas e não admite perdê-las – O Diabo, própria e obviamente. É crucial perceber que o ambiente é nocivo e que só a força interior, a perseverança, é capaz de mudar os caminhos de Beatrix. Pontuar seus objetivos e tentar desescravizar-se. Revenge is a dish best served cold – esta é uma jornada de vingança. Cada detalhe precisa de reflexão para então se chegar ao ponto almejado. Apurar as necessidades e os inimigos – ainda mais estes quando eram companheiros de trabalhos. A combinação arcana denota ambientes quentes e áridos, pode-se arriscar. Todo inferno na terra é sinal de provação. Para chegar à condição de Rainha e honrar seu instrumento de guerra, a Princesa deve seguir à risca seu intento. Fazer valer cada faísca de energia. E deixar a vingança guiar seus passos.






A ARMAÇÃO | Análise da presa, aquilo que deseja dominar, destruir, tomar ou tornar-se.  A estratégia em si. Conhecer possíveis percalços é essencial para obter êxito, seja qual for a intenção. A serpente põe-se em campo.



FORÇA + ÁS DE OUROS | A Noiva deve seguir à risca o [cruel] treinamento de Pai Mei. Dar-se à disciplina, não apenas disciplinar-se. Entregar-se à força física acumulada e recém-descoberta. Por falar em noiva, a dama d’A Força é comumente associada à imagem de uma virgem. Beatrix de véu e grinalda, apesar de ter casado grávida. Usar o instinto com sabedoria, com propriedade sobre eles. Armar-se para enfrentar as víboras assassinas. A cada capítulo uma batalha. Beatrix deve se preparar física e emocionalmente. Dominar-se para dominar. Honrar sua Hattori Hanzo. Já o Ás de Ouros como Reward, a recompensa do treinamento é sua condição letal. O regressus ad uterum é uma chance de regenerar-se. Todas as provações são necessárias para crescer e então alcançar o objetivo principal. Black Mamba entre os vivos.






O BOTE | Momento do ataque. O salto, a atitude. Como agir e ainda a qualidade da ação. Medidas as possibilidades e circunstâncias, toma-se a decisão e golpeia.

 


PENDURADO + OITO DE OUROS | Beatrix tem de esperar o minuto certo para agir, aparentando desistir do plano de vingança e aguardar Bill baixar a guarda. Demonstrar que aprendeu a lição e que então se rende, mesmo sabendo do perigo onisciente do adversário. Qualquer movimento será fatal. Não se deve esquecer da cena do dardo tranquilizante que o vilão dispara em sua perna, remetendo diretamente à suspensão temporária do Arcano 12. Depois, a noiva deve fazer valer, mais que nunca, suas habilidades — frutos do aprendizado [Learning] constante ao longo da jornada. Beatrix é uma víbora assassina e deve aceitar sua condição. Não há mais volta. Como consequência da sua vingança, Beatrix assume B.B., até então criada pelo pai. E não é que temos uma cena curiosa no Eight of Pentacles do baralho de Barbara Walker? Uma rainha coroando uma princesa. Ritualiza-se o processo materno. A Noiva iniciada como Mãe. A garotinha iniciada como Filha.





O VENENO | Arcano [maior] oculto obtido através da soma dos arcanos maiores sorteados. Por meio dele se confirma a eficácia ou ineficácia do ataque.

Eis o último recurso. Um presente, uma esperança. Por meio da soma dos maiores, obtemos um novo arcano maior, mesmo que tenha sido sorteado para a leitura. Veja o caso do filme: 15 + 11 + 12 = 11 = A FORÇA, lâmina realizadora e conclusiva. Nesta posição confirma-se a eficácia do bote: Beatrix consegue matar Bill. Concretiza  seu objetivo de destruir Bill, seu mentor e antigo amor. Livre das amarras mapeadas n’A ESPREITA (arcano 15, O Diabo), a Noiva domina a situação. Domina a si mesma.





[ALGUNS] MEANDROS DA LEITURA

Não há discussão [comigo]: valer-se também das imagens é essencial ao longo da consulta. Perceba que, fazendo uma tiragem para uma narrativa já estabelecida que é o filme, com um começo, meio e fim, tem-se um arranjo de possibilidades descaradas e veladas. Quem já viu os dois volumes de KILL BILL sabe que Beatrix é enterrada viva por Budd, um de seus adversários, justamente no momento em que vai atrás dele no meio do deserto. As cartas sorteadas na posição d’A ARMAÇÃO denotam essa nuance do roteiro: o Ás de Ouros é o elemento terra em sua raíz. Ilustra o renascimento da personagem. Claro que numa leitura a outras pessoas, ao sugerir as táticas que as lâminas trazem, seria forçado prever esse perigo. Mas retroativamente, conhecendo o roteiro, pode-se constatar essas passagens nas próprias imagens do tarô. Vale como exercício imagético. Possibilidades mil. Certamente deixamos de lado vários trechos e noções importantes dos dois filmes que as cartas sorteadas denotam. Mas esse é o jogo da combinatória e da interpretação. Ou vai me dizer que você absorve cada detalhe, fala e circunstância de um filme na primeira vez que assiste? Difícil. O mesmo acontece com uma tiragem de tarô: leitura pressupõe releitura. Sempre que possível.



E [POUCAS] CONSIDERAÇÕES FINAIS

Leve em conta o sangue jorrado. Exercícios de leitura tonificam seu arsenal analógico. Com o mínimo de destreza, você pode perceber quão esguio é o oráculo: rasteja pelas nossas percepções. Afina as pontas de intuição. Portanto, anote seus jogos. Experimente outros exemplos. Escolha filmes e livros que você ainda não tenha visto e lido e tenha coragem de testar em si o veneno do acaso. O antídoto vem com a experiência. Aliás, perceba que o método não promete táticas infalíveis. O VENENO, conforme dito, revela o êxito ou fracasso das artimanhas adotadas. Isso se relaciona diretamente com a natureza dos arcanos, daí a relação intrínseca entre as posições. Elas devem ser lidas como um todo indissociável. A natureza da serpente. A arquitetura da estratégia. Uma ode às possibilidades da simbologia. Elas sibilam aos nossos olhos. 


Giane PORTAL & Leo CHIODA


Vivemos juntos por uma semana. Oportunidade cronometrada para passear por feiras esotéricas, assistir a musicais consagrados, garimpar livros sobre oráculos em lugares adoravelmente inóspitos, arquitetar workshops e trazer ao mundo um método ofídico de leitura devidamente testado, aprimorado e aprovado. Foram só sete dias, mas já somos informantes no crime da combinatória do futuro há mais de um ano. O período só confirma nossa parceria. 

Para lições felinas de estratégia, conquista e destruição, contate a agente Portal em www.gianeportal.wordpress.com. Confira também ARCANAVÊNUS, nosso novo projeto: www.arcanavenus.wordpress.com



IMAGENS 

The Barbara Walker Tarot. US Games, 1986.
KILL BILL Vol. 1 & 2. Miramax, 2003-2004.


5 comentários:

Christiane Forcinito disse...

EXCELENTE!

PARABÉNS.

CHRIS.

Zoe de Camaris disse...

Amei a tiragem!

Unknown disse...

1 duvida.
o VENENO será sempre um arcano maior? ou seja, tenho que reduzir a soma até se chegar em um valor abaixo de 21.

abcs.

Ayesha Moon disse...

adoreei essa técnica!!! serpentes são interessantíssimas. aliás, é meu signo no horóscopo chinês.

vou sibilar, serpentear e colocar as cartas na mesa... rsrs... ;)

beijos, vocês são ótimos!!

sofy lefour disse...


Muchas gracias por todas sus sugerencias en este sitio. Sus acciones son muy interesantes y muy gratificante. Felicitaciones a usted.

Voyance