13 de julho de 2013

LIVROS DE TAROT



Madame Oráculo
Viaduto do Chá | São Paulo
Foto de Leo Chioda


Bibliotecas. Sebos. Livrarias. Nada me deixa tão instigado quanto esses palácios de sabedoria às traças. Templos de letra e poeira. Quem me conhece sabe que um dos meus ofícios constantes é perambular feito O Louco pelos sebos aqui de São Paulo. Em meio a tantas opções, sempre passo ao lado do cigano da Sé, companheiro das garotas que batem ponto em frente ao José de Alencar, embaralhando seu Tarô Mitológico aos transeuntes com pressa. O mercado de livros usados pode ser enigmático ou entediante aos olhos de um turista, mas também um verdadeiro reduto de preciosidades a quem se dedica a determinado assunto. De vinis antiquíssimos a filmes em Blu-Ray, as situações e surpresas que um sebo oferece são várias — a maioria delas prazerosa. E quem vos diz, com total convicção, é alguém que já encontrou um Tarot Universal Dalí absolutamente novo dando sopa numa prateleira. 

Começo dizendo tudo isso porque nem sempre as livrarias convencionais fornecem aquilo que realmente importa a um estudioso ou colecionador. E sigo afirmando que nem sempre o que está nas lojas é o que realmente interessa, ainda mais quando o assunto é Tarô.



O Cigano
Praça da Sé | São Paulo
Foto de Leo Chioda

UMA LISTA [OU UM GUIA] 
NADA CONVENCIONAL

É antiga a ideia e a necessidade de se escrever um verdadeiro compêndio de leituras sugeridas, desde as obrigatórias até as mais ofensivas, sejam elas nacionais ou importadas. Quem pesquisa, penso eu, tem o direito e até mesmo o dever de avaliar aquilo que se lê. Enquanto blogueiro — logo, formador de opinião — tenho a intenção de criar uma lista de indicações e boas maneiras diante de publicações a respeito das cartas. Em vez de atribuir  estrelas, me limito a pouquíssimas linhas sobre cada livro em três listas de peso. Espero que sirva tanto a leigos no assunto [que SEMPRE me procuram pedindo socorro] quanto aos já familiarizados com os símbolos que nos rodeiam. A lista se restringe aos títulos com tradução em português, justamente por tornar mais fácil a aquisição por meio de livrarias ou pela Estante Virtual, por exemplo.



LEITURAS INDISPENSÁVEIS 

PARA LEITURAS EXCELENTES




Quando o livro é bom, eu falo. Mas pra falar, eu leio. Leio e releio. Risco, grifo, transcrevo. E é assim que uma leitura pode suscitar outras ainda mais apuradas: a partir da verdadeira leitura. Fico bobo de ver o quanto as pessoas fazem questão de marcar presença em lançamentos e sessões de autógrafo mas não leem aquilo que compram. Especialmente quando o tema é esse. Percebo o quanto se repete o mesmo discurso, as mesmas bobagens acerca de tópicos já derrubados como o tarô que veio do Egito, o baralho que não tem 78 arcanos mas que é tarot, ou ainda o oráculo cigano que se chama Tarot. Pois falta leitura e sobram livros bons, acredite. Mas não, não basta dizer que um livro é bom. O bom é que você leia e questione o que está lendo. Questione até essas indicações. É aliando essas sugestões à prática de leitura[s] que você poderá falar por si quando lhe pedirem algum parecer a respeito de publicações especializadas. 



TARÔ: A JORNADA DO HERÓI | Hajo Banzhaf 
Editora Pensamento

Hajo Banzhaf, neste clássico, oferece uma viagem pela mitologia de cada um a partir dos 22 Arcanos Maiores. No estilo Joseph Campbell de conduzir uma trajetória, este livro acaba sendo uma jóia em qualquer biblioteca de tarô. Anote suas impressões a cada capítulo e componha sua saga em busca do Graal dentro de você.


78 GRAUS DA SABEDORIA | Rachel Pollack 
Nova Fronteira

Embora Pollack se valha do baralho de Waite e Pamela Colman Smith para narrar um dos trajetos mais consistentes da literatura esotérica, este é um título indispensável por oferecer um verdadeiro diálogo com o leitor e com as leituras que fazemos das cartas, independente do tarô escolhido.



TARÔ E INDIVIDUAÇÃO | Irene Gad
Editora Mandarim

Alquimia e Cabala tão bem casados numa publicação realmente rara hoje em dia. É o que a junguiana Irene Gad propõe num livro bem recheado de iconografia e conceitos esotéricos em torno das lâminas. Um tratado sobre os símbolos à luz dos conceitos de Oswald Wirth e outros teóricos indispensáveis. Se encontrar este livro por aí dando sopa, aproveite. É a sua chance. E provavelmente a única.




ESTUDOS COMPLETOS DO TARÔ | Nei Naiff 
Vol. 1  TARÔ, SIMBOLOGIA E OCULTISMO
Vol. 2 TARÔ, VIDA E DESTINO
Vol. 3 TARÔ, ORÁCULO E MÉTODOS
Best Seller

Quem nega a clareza e a higiene ideológica de Nei Naiff no universo do Tarô é justamente quem não leu ou quem tem medo de Nei Naiff. Não há, no mercado brasileiro, nada tão claro, didático e absolutamente  necessário quanto a trilogia relançada pelo selo Best Seller da editora Record. Nei Naiff oferece um caminho seguro e coerente a iniciantes e uma reciclagem incisiva a veteranos. Obras de inegável influência para a nova geração de tarólogos, estes três livros são tesouros que merecem lugar de destaque em toda mesa de trabalho que se preze.



DICIONÁRIO DE SÍMBOLOS | Jean Chevalier & Alain Gheerbranty

José Olympio

Amplamente usado na área acadêmica, eis um dicionário próprio para tarólogos, Apesar de existirem alguns outros tantos atualizados, este continua um clássico. Maçonaria, alquimia, mitologia e tarologia num lugar só. Ideal para consultas rápidas e não menos profundas.


O LIVRO DOS SÍMBOLOS | Vários Autores

Taschen

A nova era dos dicionários de símbolos começa com esta verdadeira bíblia. Lançada pela incrível Taschen portuguesa, esta pérola de mais de 800 páginas oferece conceitos nunca antes catalogados em livros similares sobre imagens arquetípicas. Ideal para qualquer ser humano. Indiscutivelmente.




MANUAL DO TARÔ | Hajo Banzhaf

Editora Pensamento

Sendo esse um dos meus livros preferidos e e também indicados para leigos que desejam se enveredar pelas cartas, o livro amarelo de Banzhaf continua sendo bem vendido e bem aceito nos dias de hoje. Não se deixe enganar pelo seu aspecto humilde. É, sem dúvida, um manual ímpar no mercado. Traz os conceitos do tarô de Waite sem se esquecer da simbologia tradicional através de listas, exercícios de significado e um caderno de métodos bastante útil. Assim como o livro azul e o livro vermelho do Hajo, este é um marco em toda pilha de livros importantes.



TARÔ OU A MÁQUINA DE IMAGINAR | Alberto Cousté 

Editora Ground


Outro dos meus favoritos, traduzidos pela poeta Ana Cristina César, a obra de Cousté é um pequeno tesouro também. Disponível em todo e qualquer sebo de qualidade, este antigo título é um guia necessário pelos estudos de Oswald Wirth, já que sua sobre Tarô não está disponível em português. O conceito das vias Úmida e Seca, por exemplo, é um dos destaques. Frequentemente subestimado, esse livro logo se tornará uma relíquia. 



PEÇAS BEM VINDAS 
A TODA E QUALQUER ESTANTE




E quando o livro acaba sendo quase intocável por ser pouco consultado? São exatamente os livros que você sabe que podem acrescentar alguma coisa em determinado momento da vida, tendo o papel de desencadear analogias e fazer com que você relembre conceitos sobre os arcanos ou refresque na mente algum método de tiragem. Tão importantes que não se restringem ao tema, mas deslancham em simbologia e mitologia por ser óbvia a necessidade. Se você quiser entender, apreender e transitar pela estrutura do oráculo, vá por mim: ficar só nos livros que trazem a palavra Tarô na capa não vai adiantar muita coisa. Sua bibliografia tem de ser de ser plural, assim como sua visão de mundo. E os escolhidos, rapidamente, são:


JUNG E O TARÔ | Sallie Nichols
Editora Pensamento

A autora, estudiosa da obra de Jung, nos presenteia com um verdadeiro livro de significados e exercícios que todo leitor de imagens tem de devorar alguma vez na vida. Vale a pena frisar que é um livro baseado nos estudos de Jung, não de Jung especificamente. Falar em tarô sob a ótica de Jung requer a leitura da obra de Jung, específica e obviamente. Enquanto você não se debruça sobre os livros de psicologia arquetípica, fique com os argumentos de bons estudiosos. E saiba filtrar, mesmo assim.


TARÔ -  ESPELHO DA ALMA | Gerd Ziegler
Editora Jorge Zahar

Mesmo que o alemão Gerd Ziegler tenha estrruturado sua obra-prima em torno do baralho de Aleister Crowley e Frieda Harris, ele foi muito feliz por trazer conceitos que servem para todo e qualquer tarô [como todo bom livro de tarô possibilita]. Por isso é que os conceitos de afirmação positiva e uma visão mágica das lâminas pode ser uma viagem crucial para quem se dedica à leitura visceral do tarô: pelos olhos da alma.


O CASTELO DOS DESTINOS CRUZADOS | Italo Calvino
Companhia das Letras 

Da literatura à prática de leitura. A magia do Tarô é a narrativa. Não são histórias que deitamos à mesa, diante de alguém? Sim. E é por aí que se envereda um dos maiores escritores italianos. Várias personagens são criadas a partir da disposição das lâminas. Um livro absoluto no que diz respeito ao poder de analogia, que é a musa de todo e qualquer cartomante.


INICIAÇÃO AO TARÔ | Pedro Camargo
Editora Nova Era

A tendência da vida é dar certo. Com uma sentença dessas, o livro de Pedro Camargo não poderia ser mais que um clássico brasileiro. Lançado numa renomada coleção, este pocket merece releituras e mais releituras. Camargo repassa os mestres cabalistas, os simbologistas e magistas que ajudaram a formar o pensamento tarológico do século passado, sendo um compêndio rápido de significados e noções básicas para qualquer tipo de público, desde o leigo até o avançado.


O LIVRO DE THOTH | Aleister Crowley 
Editora Madras | Anúbis

Aleister Crowley pintou e bordou. E fez isso com tanta maestria que hoje temos uma realidade em torno do Tarô que muito deve ao magista mais polêmico de que temos notícia. É indiscutível que suas teorias condensadas no baralho concebido por Lady Harris sejam necessárias à compreensão de vários tarôs modernos, inclusive. Importantíssimo ter este título na estante. A edição brasileira é uma raridade, por diversos motivos [também polêmicos] em torno da tradução e da publicação.




O TAROT DE THOTH | Johann Heyss
Editora Nova Era

Um dos livros que definiram minha trajetória oracular foi este. Foram decisivos os tempos de dedicação ao baralho de Crowley. Johann é direto e reto na explicação das atribuições e nas definições cabalísticas em torno da obra prima do grande mago inglês. Uma das premissas do livro é uma das minhas preferidas: tarot é para brincar. Pode ser facilmente encontrado em sebos, embora a nova edição [do autor, via Amazon, revista e ampliada] seja ainda melhor. Considero o melhor livro já escrito sobre o Tarô de Thoth em língua portuguesa. Imperdível.


TARÔ - DICIONÁRIO E COMPÊNDIO | Jana Riley
Editora Jorge Zahar

Vários autores, vários baralhos, vários conceitos. Foi pensando na diversidade ideológica que nutre o Tarô que a autora reuniu grandes pensadores para compor um verdadeiro tratado acerca das 78 cartas. Um item forte para consultas e ideias a partir de visões de autoridades oraculares nos Estados Unidos e na Inglaterra. A obra de Riley supre a carência de traduções de autores consagrados para a língua portuguesa.


MÃE PAZ | Vicki Noble
Editora Nova Era

O livro criado para o Motherpeace Tarot foi lançado no Brasil há vários anos e, apesar de ser voltado para o baralho homônimo, serve perfeitamente a quem se preocupa em vivenciar as cartas de modo integral. Possibilita a inclusão do Tarô em um sistema de crenças voltado às divindades primordiais e ao universo pagão. Uma visão diferenciada e bastante urgente para a nossa realidade.



CURSO DE TAROT TERAPÊUTICO | Veet Pramad
Editora Madras

Um sistema voltado especificamente aos meandros do consulente. Preocupado com a essência humana, o autor foi no cerne dos símbolos e escreveu um verdadeiro tratado sobre os arcanos à luz de vários baralhos e de conceitos esotéricos diversos.



AFRONTAS E RELÍQUIAS
DE INVESTIMENTO PURAMENTE ARBITRÁRIO






Sério, eu poderia inaugurar o Movimento Passe Longe devido a vários títulos dispensáveis, mas fico com os menos péssimos do que pensamos se os olhos forem livres e a triagem de informações prevalecer. Há relevância em toda ignorância, mas a dosagem é que é o perigo. Se você tem alguma dessas publicações por perto, leia e releia de modo crítico. E espero que para isso você tenha se debruçado, de verdade, sobre os títulos das duas listas anteriores. Vá, mas vá com cuidado.


TARÔ DE MARSELHA | Carlos Godo 
Editora Pensamento

De longe um dos títulos mais vendidos no Brasil, este é o que chamamos de 'básico'. Sendo um dos primeiros livros que caíram nas minhas mãos, sua relevância se restringe às noções básicas de simbologia, sobretudo à linguagem corporal das imagens e das cores que compõem as cartas. Um item que pode servir para eventuais consultas, mas nada que lhe fará falta. 


O TARÔ DOS BOÊMIOS | Papus
Editora Ícone

Papus é literatura tarológica. Há quem se dedique às suas teorias e até quem extraia informações e práticas relevantes de seus escritos, mas ainda assim vejo o livro como uma oportunidade de conhecer o pensamento arcano das escolas de mistério dos séculos passados. Um clássico, mas não tão útil às leituras contemporâneas como pode parecer.

OS ARCANOS MAIORES DO TARÔ 
OS ARCANOS MENORES DO TARÔ | G. O. Mebes 
Editora Pensamento 

Estas publicações também deveriam ser encaradas com cuidado, num primeiro momento, diante de tantas outras maravilhosas que estão ao alcance de todos. Me limito a dizer que Cabala é uma coisa e Tarô é outra. Servindo a outros propósitos que não à leitura de Tarot que você conhece, estes volumes se voltam às noções de magia ligadas a escolas esotéricas. Se a intenção for mergulhar no cerne do oráculo, podem não ser tão úteis.



O TARÔ MITOLÓGICO | Liz Greene & Juliet Sharman-Burke 
Madras

Sim, este livro é bom. Apesar de olhar um pouco torto para o baralho, sei da coerência que Greene e Sharman-Burke conseguiram imprimir nestas páginas. É um livro útil, principalmente quando se sabe adaptar as referências míticas sem acabar contaminando a simbologia dos tarôs tradicionais. Digo que vale a pena ter na estante.



TARÔ DOS ANJOS | Monica Buonfiglio
Editora Monica Buonfiglio

Incluo este livro devido à sua onipresença nas livrarias do país, há tantos anos. Este é um oráculo angelical de 42 cartas. Se o interesse é o Tarô clássico, diria que não é prudente se dedicar a um maço de estrutura adaptada. Este baralho não corresponde à quantidade de cartas de um tradicional [78 lâminas: 22 Arcanos Maiores e 56 Menores]. Ele destoa por ter um sistema próprio: 22 Maiores e 20 Menores. Caso queira adquirir pela temática ou pela relevância da autora — que foi importante para o Esoterismo brasileiro devido às suas contribuições midiáticas —, leia com as devidas ressalvas.



O TARÔ CABALÍSTICO | Robert Wang 
Editora Pensamento

Tarô é Tarô e Cabala é Cabala. Mas se é pra juntar uma coisa com outra de modo minimamente coerente, que seja com livros aparentemente coerentes. Considero este um exemplo de concisão e elasticidade teórica quando o assunto é Tarô E Cabala. Vale uma folheada atenta para saber ainda mais a respeito dessa correlação tão frequente. Também vale por ser um clássico traduzido há algumas décadas e atualmente um tanto difícil de ser encontrado.


O TARÔ DE MARSELHA | Paul Marteau 
Editora Objetiva

Outro clássico que geralmente dá sopa por aí nos sebos, o livro de Marteau é uma introdução clássica ao baralho marselhês. Recomendo para quem, ainda hoje, deseja se enveredar por este tarô e estar por dentro da simbologia tradicional das cartas. Lembrando que, como todos os outros, é um título digno de ser filtrado pelo seu bom senso. 



TARÔ - A SORTE PELAS CARTAS | Arthur E. Waite 
Ediouro

A teoria de Waite acerca do baralho que concebeu com Pamela C. Smith pode parecer absurda devido a algumas alterações estruturais e conceitos que nada têm a ver com os Arcanos Menores ilustrados. Mesmo assim, este é um clássico lançado em formato cartilha pela Coleção Astral e ainda pode ser encontrado por aí. Se der sorte, pode haver o encarte com as 78 mini-lâminas para recortar e colocar na bolsa, por exemplo. Assim como Crowley, Waite igualmente merece lugar de destaque em toda e qualquer biblioteca de pesquisa. Indispensável.



NOTA DE RODAPÉ | um recado final

MEA CULPA, claro, por deixar de fora tantos outros livros, no calor de cada uma das listas. Alguns até excelentes para figurarem aqui, eu sei. Mas reitero: esta lista trata apenas dos principais títulos publicados no Brasil. Aqueles que estavam [ou ainda estão] por toda a parte e que merecem atenção. Aliás, aproveito para pedir que ENCARE TODOS ESSES TÍTULOS, assim como todos os outros que caírem em suas mãos, COMO LITERATURA TAROLÓGICA, E NÃO COMO VERDADES INCONTESTÁVEIS. Este é apenas um guia de sugestões — antes, durante e depois de qualquer coisa. Sugestões seguidas de opiniões. Minhas. Rápidas justamente para não viciar seu percurso pelos livros de Tarô. Assim como o destino muda assim que você olha pra ele, posso mudar a impressão que tenho sobre determinadas obras. E você também, a partir de leituras cada vez mais pontuais, pode definir sua trajetória pelo Tarô por meio de poucos e bons livros. Leve em consideração os autores, o que publicam, o como e quanto discutem suas ideias. 

Mais interessante que sair devorando tudo o que se encontra pela frente é digerir informações com a cabeça no lugar, isenta de todo e qualquer esquizoterismo que possa deturpar sua visão de mundo e de oráculo. Aproveite essas indicações, mas não pare por aqui. Aliás, siga pelos corredores dos sebos como se fosse o seu habitat natural. Quem sabe os Arcanos não esbarram em você?

Boas leituras. 
Sempre.


L.


11 comentários:

Humberto disse...

Adorei sua lista! Vai de encontro à busca de vários leitores quanto ao que ler para ser um tarólogo, mas as pessoas não são assim tão boas que possam ler qualquer coisa!!! E viva a leitura!!!!!

Humberto disse...

Ótima sua lista de leituras! Adorei!!!

Val disse...

Muito boa a lista!!!

sofy lefour disse...

Hola, me encanta lo que estás haciendo me pregunto cómo no se me olvida tu blog

voyance gratuite par mail

Anônimo disse...

É delicioso, de tempos em tempos, passear pelas postagens antigas do seu blog. E a foto do início me dá uma pontada no coração... sou paulistana exilada em Brasília, fflchiana, antiga rata dos sebos do centro da cidade. Conheço cada prateleira e verificava as seções esotéricas semanalmente (trabalhava no centro da cidade). Provavelmente disputamos alguns volumes tarológicos nessas andanças! Abraços e parabéns pelo trabalho. Jamile.

Rogério Vieira disse...

Pena que nao esteja incluído nenhum livro da Mary K. Geer.

Leo Chioda disse...

Rogério, não há nenhuma da Mary K Greer porque A LISTA SE RESTRINGE A LIVROS PUBLICADOS NO BRASIL. Um abraço!

Larissa Vicentini disse...

Legal.

Sobre "Petit Lenormand - Teoria e Prática" de Geraldo Spacassassi, tem conhecimento?

https://www.clubedeautores.com.br/book/162184--BARALHO_PETIT_LENORMAND___TEORIA__PRATICA#.V4F1aB8QZwA

Me lembro que a leitura breve sobre as atribuições às cartas do Petit Lenormand através do site Clube do Tarô deste autor me foram muito úteis e inspiradoras. Mesmo sendo muito breve os resumos no Clube do Tarô a partir desta obra, ainda sim foi a visão mais ampliada e responsável que eu entrei em contato. Mas não tenho o livro ainda e nem conheço sobre o autor.

Mariana Zenaro disse...

Oi, Leonardo!

Parabéns pelo texto, pelas indicações para leitura e pelas sinopses dos livros. Estou aprendendo as práticas oraculares do baralho Petit Lenormand e do Tarô, inclusive vou começar um curso de tarô no portal Personare ministrado por você. Estou ansiosa! Este material é bastante precioso para qualquer pessoa que deseje se aprofundar nestes conhecimentos.
Gostaria de lhe pedir, caso não for inoportuno, se você poderia ceder um pdf com o texto deste post para podermos imprimir.

Desde já agradecida!

Aguardo seu retorno,

Mariana Zenaro

Fernando Junior disse...

Leo tenho praticamente todos os que vc indicou aqui no seu Blog Café Tarot, alguns adquiri em lojas outros em Sebos, são excelentes e indispensáveis na biblioteca de todo tarólogo. Valeu pelas indicações, muito sucesso pra vc.Um grande abraço.

Fernando Junior disse...

Leo tenho praticamente todos os que vc indicou aqui no seu Blog Café Tarot, alguns adquiri em lojas outros em Sebos, são excelentes e indispensáveis na biblioteca de todo tarólogo. Valeu pelas indicações, muito sucesso pra vc.Um grande abraço.